2020

II -Segundo Ato

Aproveite a Leitura

  • O Policarpo

O Salão Oval da Justiça

Atualizado: Abr 29


Tudo se inicia numa fazenda, após um crime deliberado - então o grande fazendeiro põe seu dedo em riste na sala do prefeito!


- Não suportarei mais que minhas galinhas sejam roubadas, hoje fui novamente contá-las das setenta mil, sumiram duas e já foram roubadas outras dezenas nos últimos anos!


Interpela o prefeito:


- Mas, você não se prontificou de colocar melhor segurança?

- Não se protege dos cães e outros animais?

- Os criminosos em nossa cidade sei que são poucos!


Os pés do fazendeiro se aproximam, cheio de certezas e imbuído de poder ele continua seus argumentos.


- Não tenho certeza de quem seja, mas se a prefeitura não me ajudar a proteger minhas galinhas, logo lhe faltará frangos fritos, e levarei minha granja para outro lugar!

- Pode deixar meu caro amigo, falarei com o delegado e ele falará com o inspetor de polícia! Não deixaremos ladrões de galinha acabarem com nossa cidade, essa cidade de família!


Assim foi essa tarde, numa pequena cidade. O fazendeiro depois de conferir seu cercado, suas galinhas e seu gado, acendeu um charuto - vestindo suas botas de couro, estava assim bem sossegado. Sentado na cadeira macia ele reflete sobre seu dinheiro. Sente sempre que dinheiro lhe é insuficiente, e homens têm lhe roubado!


Quando do céu um acidente assombra a tarde da fazenda, o fazendeiro e todos os criados - um avião cai - um triste acidente. Tudo que havia sido planejado, para que fosse mais uma tarde bem planejada, rompe tudo e todo cercado, roubando assim uma porção de vida de bicho e dos viajantes dos ares - acordam, dormindo sentados.


Ao longo dos dias era dado como certo que o avião errou seu alvo, mas era um ataque terrorista, o explosivo falhou e explodiu na hora errada, na pacata cidade! O fazendeiro com todo seu dinheiro foi correndo ao senado, juntou amigos e pistolas, foram atrás de justiça, procurando sempre culpados!


Alinharam seus valores e pensamentos, logo disseram:


- Que aqui seja firmado um pacto, acabaremos com todos esses canalhas-psicopatas!

- Nos reuniremos em breve num grandioso salão, ele será tal como os ovos - ovalado!

- Decidiremos então - assim, um extermínio para esses bandidos alienados!


O primeiro integrante o fazendeiro, o segundo um senador, o terceiro o governador, o quarto o delegado, o quinto o presidente, do sexto até o milionésimo assessores. Todos homens ricos e sábios, logo precisam de mais integrantes, não pensaram muito, ligaram para um advogado. O advogado saberia como proceder com os direitos e o dever, e já chegou falando em processar, prender e punir a tudo e a todos! Dizia e repetia.


- Eles precisam ser punidos, só uma severa punição acabará com esses malucos sem coração!


Assim sendo, logo depois o exército foi chamado, o general chegou com seus dizeres.


- Tenho certeza, meus senhores, onde esses seres se escondem!


Pegou o globo terrestre e apontou com dedo a direção, em tal momento uma mosca voava, vinha de longe e sentou sobre o alto do globo, limpou suas patas e continuou seu voo.


Eles precisavam além de punir, entender o que estava acontecendo com o mundo, ligaram para o mais bem graduado sociólogo e também para o mais famoso psicólogo, especialistas especiais. Chegaram juntos dizendo coisas da vida, que ao certo esses homens precisam ser corrigidos, melhorados e tratados, nem que sejam regimentados pela medicina, psiquiatria ou uma nova eucaristia!


Ainda faltava mais pessoas, para pensaram no engenheiro para criar um grande engenho, que pegasse ao invés de pássaros, pegasse gente ruim, havia ao certo um proeminente engenheiro, mas ele não aceitaria criar armas de caça ou armas de guerra, todos pensaram e pensaram!


- Bem, não nos resta solução a não ser pagar por isso um bom preço. Para não falharmos em chamar um grande cientista, vamos contratar um marquetista!


O marquetista-marqueteiro ao certo saberia convencer o cientista, com argumentos e dinheiro ou com mentiras e puteiro!


...Passou assim um certo tempo do galinheiro, mas os jornalistas repetiam a mesma história o dia inteiro! O ódio e a vingança eram reavivados a cada instante!


As reuniões continuaram e o projeto estava pronto, grandes senhores da justiça se alegravam, riam e quase gozavam...


Um tempo passou - fogo, metal, chumbo e átomos bem divididos depois, eles conseguiram, um projeto tão bem planejado, como a ilha de Manhattan. Uma grande arapuca foi feita. Espiões foram infiltrados e acharam o esconderijo dos terroristas e não só esses, mas todos os terroristas e grandes criminosos do mundo, eles estavam seguros em trazer a segurança que o mundo merecia.


A bomba santa era bela, de barriga pontuda, cara feliz e ogiva amarela, era só um botão para tudo ser resolvido, foi feita uma festa inaugural nessa sala oval, que decidia tudo sobre o futuro da humanidade e sobre a vida! Não deu tempo da sobremesa e de jogar fora as toneladas de comida que não foram comidas. Daí o que sobrou logo atraiu uma negra mosca, rodou e rodou, comeu e engordou, parou para descansar!


Foi no botão vermelho que ela se esticou, estava cheia de vida e certezas, pois naquela sala o peso da verdade era tão imenso, que os átomos daqueles corações deram a mosca alguns newtons a mais, para ela brigar assim contra a gravidade.


Lá se vai o botão para baixo, a bomba santa explode, não deu tempo nem do padre rezar a missa, um triste fim para toda humanidade-humanista!

Tudo que se juntou dia-a-dia, se destruiu pelo ódio e pela justiça, a sala oval rompeu a casca de seu ovo, o amor se desfez, de tudo que criou, e as galinhas todas da granja se tornaram frangos mortos, empanados, assados, fritos e radiotivos, sem íodo pra temperar!

Triste conclusão que todos os especialistas e os sábios homens chegaram, acabaram com o ódio e com a vida. Poderes malditos, corruptos banditos, sonhos destruidos, falsa esperança e escrutínio, vamos votar, até a bomba armar no salão oval da justiça!

O SALÃO OVAL DA JUSTIÇA

Policarpo Praxedes (2016)



CONTATO PARA ADAPTAÇÕES E LICENCIAMENTOS

Para parcerias, desenvolvimento de produtos ou adaptação do conteúdo aqui representado nos contate.

OTROPICAL@OUTLOOK.COM.BR

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO

*Os personagens, histórias ou temas são originais - criados e concebidos por seu autor, a exploração financeira indevida direta ou indireta desse conteúdo resulta em crime de direitos autorais, caso tenha dúvidas adicionais consulte.

O TROPICAL

Arte e Cultura

WWW.OTROPICAL.COM.BR


(CURTAM E COMPARTILHEM A PÁGINA E OS CONTEÚDOS)

#OTropical #PolicarpoPraxedes #OSalãoOvaldaJustiça #Fazendeiro #Prefeito